(31) 3281-9605

Meu Carrinho

0 item(ns) - R$0,00
Você ainda não adicionou produtos.

II Carta convite Jornada Aleph

Desde já enfatizo que ela [a psicanálise] não é fruto da especulação, mas da experiência, e,

portanto, é inacabada enquanto teoria. - FREUD. Princípios básicos da psicanálise, 1913.

 

... é do não-todo que provém o analista.  - LACAN, Nota italiana, 1973.

 

Caros colegas,

Aleph - Escola de Psicanálise convida para sua XXII Jornada, "Por que a Psicanálise?” a realizar-se no dia 10 e 11 de novembro 2017 no Auditório do Museu Histórico Abílio Barreto .

A instigante indagação de Freud, em sua correspondência a Einstein, "Por que a guerra?" (1932-33) sustenta nosso trabalho esse ano e nos leva a outra pergunta que nos impulsiona - "Por que a Psicanálise?" Não seremos ingênuos em acreditar em Uma resposta. Para nós, analistas, não se trata de um saber pleno, mas sim, de um saber nada estático no qual o que prevalece é o não - sabido. A Psicanálise lida com um saber, um saber sobre a falta estrutural do sujeito. Essa é a nossa saída mais ética. Assim, a relação da função do real no saber toca um ponto de verdade. Temos então: Verdade – Saber-Real. Um tripleto indecomponível, evitando qualquer possibilidade de lidar apenas com dois termos. Alguns discursos recusam esse tripleto fazendo uma relação de dois termos apenas. Somenteuma dicotomia. Esse véu não nos cai bem!

Ressaltamos que só há verdade de um saber desde que um real funcione nele. A experiência analítica confirma esse ponto ao pensar a particularidade do sintoma sempre e hoje, mesmo quando ele é chamado de contemporâneo. A Psicanálise ao considerar a falta estrutural confirma uma experiência inédita, por isso, resiste à terapêutica. Transmite esse ponto que é sempre atual e ao não escutá-lo teremos efeitos muitas vezes capciosos.

Por que a Psicanálise?”- essa indagação também clama o analista e confirma que a experiência analítica não é normativa o que implica escapar da repetição infinita do que teoricamente já se sabe. Lacan afirma que o analista deve muitas vezes defrontar-se corajosamente com ocul-de-sac (beco sem saída), deixar a nu as dificuldades, as impossibilidades que enfrenta em sua prática, às quais não tenta vestir com as roupas prêt-à-porter de uma solução teórica mais fácil.

Freud e Lacan não recuaram ante o real; o real escreve a experiência analítica que se fundamenta sobre a inscrição de um impossível. Nesta dimensão, a Psicanálise como experiência de discurso visa levar o sujeito à ética do desejo.

 

A Comissão da Jornada buscará contribuir nesta sustentação a partir de Encontros de Trabalho:

O próximo: II Encontro - Por que a Guerra? / Por que a Psicanálise?

Data: 22 de setembro de 2017 às 20:30h.

Local: Aleph-Escola de Psicanálise – Rua Ceará, 1431. Funcionários. B.H. / MG

 

Convidados:    Renato Lessa - Professor de Filosofia Política da PUC RIO – RJ.

Eduardo Vidal – Psicanalista - Escola Letra Freudiana – RJ.

 

Inscrições de trabalho:

As inscrições para apresentação de trabalhos ocorrerão impreterivelmente até 18 de setembro de 2017, através de um pequeno resumo.

 

ATENÇÃO: Após essa data será encerrada as inscrições para apresentação de trabalhos.

 

A entrega dos trabalhos finais ocorrerá impreterivelmente até 18 de outubro de 2017.

 

Normas para entrega dos trabalhos:

Máximo 3 laudas, sendo a bibliografia à parte.

Letra Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5.


            A Comissão sugere algumas articulações ao tema "Por que a Psicanálise?"

  1.       Psicanálise e terapêutica?
  2.       Psicanálise e política?
  3.       Psicanálise e medicina?
  4.       Psicanálise e manifestações artísticas?
  5.       Psicanálise e religião?
  6.       Psicanálise e o saber?
  7.       Psicanálise e o impossível?
  8.       Psicanálise e ciência?
  9.       Psicanálise e o contemporâneo?

E outros.

 

A participação será:

Profissionais: R$300,00 até 30 de setembro; R$ 320,00 a partir de 01 de outubro.

Estudantes de graduação com comprovação: R$90,00 até 30 de setembro; R$ 100,00 a partir de 01 de outubro.

 

Que façamos desta pergunta uma construção.

Bem vindos: “Por que a Psicanálise?”

 

Comissão da XXII Jornada:

João Carlos Martins

Heloisa Godoy (coordenação)

Luciana Schmidt Amaral

Maria Inez Figueiredo

Milton Ribeiro

Regina Macêna (coordenação)

Vanda Pignataro Pereira

 

*FREUD. Princípios básicos da psicanálise, 1913, p.269.

 

 

Aleph - Escola de Psicanálise

Rua Ceará,1431-sala 1205- Cep 30150-311 Funcionários, Belo Horizonte - MG 

 Fone: (31) 3281-9605 

 E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.