(31) 3281-9605

Meu Carrinho

0 item(ns) - R$0,00
Você ainda não adicionou produtos.

Seminário de leitura de Freud - 04/05 às 20:30h

“... a dúvida nunca se divorcia da pesquisa e eu, com segurança, não escavei mais do que uma parte fragmentária da verdade.” (FREUD, 1937)[i]

 

Em 1926, no artigo “Inibição, sintoma e angústia”, Freud já está intrigado com a forte  tendência em transformarem o que ele disse  “em pedra angular de uma Weltanschauung” (visão de mundo):

“Muitos autores têm dado grande ênfase à fraqueza do eu em relação ao isso e aos nossos elementos racionais em face das forças demoníacas dentro de nós, e exibem forte tendência para transformarem o que eu disse em pedra angular de umaWeltanschauung psicanalítica.”(FREUD, 1926)

Freud confessa não ser parcial quanto à construção das Weltanschauungen – compara-as com um Baedeker[ii] ou “Manuais para a Vida”, ou seja, considera-as “tentativas para encontrar um substituto para o antigo e todo-suficiente catecismo da Igreja.” (idem)

Com este espírito redige a última de suas “Novas Conferências introdutórias sobre psicanálise”, “A questão de uma Weltanschauung” (FREUD, 1932, vol.XXII). Elabora, com  mais detalhe e vigor, uma crítica à visão de mundo religiosa, filosófica e científica, marcando os pontos de especificidade da Psicanálise. 

A leitura atenta e detalhada desta conferência em nossos próximos encontros é mais uma possibilidade de bordejarmos a questão que nos atravessa: “Por que a Psicanálise?”

Esperamos vocês.

Dias: 04 de maio e 18 de maio       Hora: 20:30h      Local: Sede do Aleph

REFERÊNCIAS

FREUD, S. A questão de uma Weltanschauung.  In: Novas conferências introdutórias sobre a psicanálise. Edição standard Brasileira das obras completas de S. Freud. Rio de Janeiro, Imago, 1976[1932-1936]. vol. XXII.        
            

PORTUGAL, A.M. Freud e a Weltanschauung .  Xerox disponível na secretaria do Aleph.

 

 

[i] Carta de Freud a Stefan Zweig(1937) in: JONES, E. “Vida e obra de Sigmund Freud”. Rio de Janeiro, Zahar, 1961, p.751. 2ed.

[ii] Guia de viagem muito conhecido na Europa (Cf. nota do tradutor da Standard Brasileira das obras completas de S. Freud, vol.XX, p. 117)